E se... a Irlanda não fosse a Irlanda?

/

Calma, explico: outro dia tava pensando com meus botões (e conversando com o R.): e se a Irlanda não fosse como é hoje, ou seja, se a Inglaterra nunca tivesse tido interesse aqui muito menos invadido e dominado a ilha por mais de 800 anos - as coisas seriam diferentes?

E a resposta, depois de matutarmos e até mesmo de discutirmos com amigos é que se isso tudo não tivesse acontecido, o mundo todo seria muito diferente.

A começar pela Irlanda em si: quando a Grande Fome aconteceu (expliquei nesse post aqui), o país continuou exportando comida (a mando da Inglaterra) enquanto centenas, milhares, milhões passavam fome. A bactéria que atingiu as batatas na Irlanda também atingiu outros países, mas diferentemente desses lugares, que mantiveram a produção de suas outras plantações no país e reduziram o preço dos alimentos para que a população pudesse ter acesso, a Irlanda sofreu consequências devastadoras.

Se a Inglaterra nunca tivesse invadido a Irlanda, a Grande Fome ainda teria acontecido, mas o resultado teria sido menos feroz (os tais 3 milhões que desapareceram daqui não seriam 3 milhões). Aliás, a população da Irlanda hoje seria muito, muito maior: métodos contraceptivos eram banidos até 1985, ou seja: por uns 100 anos depois da Fome. Se na época haviam 8 milhões aqui, eu suponho que hoje haveria muito mais. Também acho que a economia seria diferente e talvez o país seria menos Dublin-centered. Isso é só especulação, não dá pra saber, mas a lógica é que se tivesse mais gente espalhada, haveria mais lojas, comércio e serviço no interior do país tanto quanto (ou quase tanto) na capital.

E a população, aliás, ainda estaria falando irlandês. Imagino que, pela proximidade com o Reino Unido, inglês seria ensinado nas escolas e as pessoas provavelmente o falariam muito bem como segunda língua, tipo os escandinavos ou os holandeses - mas a língua oficial seria o irlandês, o que desencadeia num segundo ponto: Oscar Wilde, James Joyce, Swift, Yeats, nenhum desses caras teria o peso que eles tem hoje. Ora, eles até poderiam ter se tornado escritores do mesmo jeito, mas quem, além da população local, que se interessaria em suas obras se elas fossem escritas em irlandês?

E se a Inglaterra nunca tivesse invadido a Irlanda os dois países provavelmente seriam muito próximos na verdade - companheiros de importação e exportação, lutas em guerras juntos, etc. A rixa entre ingleses e irlandeses não existiria mais - e de quem os irlandeses reclamariam então?

Se a Irlanda tivesse sido diferente na época da Grande Fome e os tais milhões não tivessem emigrado pra América, o mundo como conhecemos hoje não seria o mesmo. Hoje mais de 40 milhões de americanos alegam ter algum tipo de parentesco irlandês e grandes construções na costa leste americana foram feitas pelos imigrantes irlandeses que fugiam da pobreza e miséria aqui. Aliás, você sabia que pelo menos 22 presidentes americanos tem ancestrais irlandeses? Entre eles Roosevelt, Nixon, Kennedy, Clinton e até mesmo o Obama! Nenhum desses caras teria dado o ar de sua graça.

E se a Irlanda ainda falasse irlandês como primeira língua, não teríamos clássicos musicais como "Nothing compares 2U", "Where the streets have no name" e tantas outras. E não teríamos o Saint Patrick's Day como ele é hoje (monumentos iluminados de verde ao redor do mundo, rios sendo tingidos de verde também), e não teríamos pubs irlandeses por todos os lugares.

A Irlanda sofreu muito não só com a invasão britânica (que foi a única que abordei aqui, já que o país também foi conquistada por normandos e vikings), mas as coisas acontecem por algum motivo, né?

Esse país pequeninho, de quase 85 mil km² faz uma grande diferença no planeta (e no meu coração). <3

ireland, irlanda, aran islands
Sempre linda, sempre maravilhosa
Web Analytics

@blog_barbaridades

Back to Top