Singapura - primeiro mundo mesmo!

/

Nosso choque em Singapura se dava a todo momento. Primeiro porque apesar de termos ficado somente 3 dias lá, nós passeamos por vários bairros diferentes, pegamos metrô, ônibus, uber, então deu pra cobrir uma boa área da cidade/país. Então nós vimos muita coisa diferente, e a verdade é que aquele país é um exemplo a ser seguido.

As ruas são extremamente limpas, há uma mistura linda de urbano com natureza, várias praças e parques públicos, transporte de primeira qualidade, bem sinalizado... fora vários incentivos do governo para que os cidadãos cooperem em sociedade.

Sob o comando de Lee Kuan Yew, Singapura foi de "terceiro mundo" a "primeiro" em uma só geração. Um lugar estratégico usado pelos britânicos e território invadido pelos japoneses durante a segunda guerra, Singapura hoje é sinônimo de educação e tecnologia de ponta, inovação, logística, turismo, comércio, e muito mais, além de figurar sempre nas listas de "melhor X" do mundo. Quando ganharam independência nos anos 60, se separaram também da Malásia por diferenças ideológicas e apesar da falta de recursos naturais, se desenvolveram rapidamente através de forte comércio exterior e força de trabalho.



São mais de 5 milhões e meio de habitantes, sendo que quase 40% desses são estrangeiros. Na verdade, a alta quantidade de estrangeiros residentes no país se reflete em suas línguas oficiais, que são inglês, malaio, mandarim e tamil. Então em qualquer lugar que você vá, as placas estarão escritas nessas quatro línguas. O inglês acaba sendo a "lingua franca" da região e na verdade, a maioria da população é no mínimo bilíngue.

Mas um aspecto interessante desse caldeirão cultural e linguístico é que hoje há também uma variante do inglês falado lá chamado Singlish. Essa variante é considerada de baixo prestígio pois mistura o inglês com chinês, malaio... o governo não encoraja as pessoas a falaram assim, principalmente nos meios de comunicação. Mas esse assunto de pidgin e creole languages é super complexo e nem vou tentar explicar, até porque sei pouco sobre o assunto, mas esse vídeo no youtube fala bastante sobre o tal do Singlish e as línguas de Singapura.










Nota-se que apesar de bairros mais "do povão", rola muito dinheiro em Singapura. Esse tipo de coisa fica muito evidente quando você vai pra Marina Bay, por exemplo. Por ali fica um cartão-postal da cidade, que nada mais é do que um resort integrado incluindo hotéis, cassinos, lojas, museu, teatros, restaurantes caríssimos, etc. Em cima de tudo você vê o SkyPark, uma estrutura de 340 metros com capacidade pra quase 4 mil pessoas! Dentro de um desses shoppings/cassinos é possível até mesmo andar de gôndola como se a pessoa estivesse em Veneza - é tudo bem surreal, grandioso e chiquérrimo. Nós, reles mortais, só passeamos pela baía do lado de fora mesmo! hahaha

A verdade é que Singapura é uma cidade/país muito inspirador, organizado, um lugar que funciona - pelo menos a impressão como turistas foi essa! Apesar dos preços não serem convidativos, principalmente num contexto de sudeste asiático, nós dois saíamos de lá com o coração apertado, com muita vontade de conhecer mais desse lugar - quem sabe ainda nessa vida?






Web Analytics

@blog_barbaridades

Back to Top