Durian e floresta tropical em plena Kuala Lumpur

/

Antes de terminar de contar sobre nossos dias em Kuala Lumpur, na Malásia, preciso contar também sobre a fruta mais controversa da história e de sua presença no sudeste asiático: o durian. O durian é chamado de  "king of fruit" não só pelo seu tamanho enorme, tipo uma jaca, mas também pela sua fama: uns o amam, outros o odeiam.

E de fato, o durian é uma fruta absolutamente sem igual. O cheiro é muito, mas muito marcante. Andando pelas ruas de qualquer cidade no sudeste asiático você sente o odor, e não pense que é um cheiro bom de fruta não.

Meu primeiro contato com o durian foi quando um colega vietnamita do mestrado trouxe um doce feito com durian pra nós provarmos - como sou chegada num doce e adoro provar comidas de outros países, lá fui colocando o bendito inteiro na boca... e olha, eu sou dessas que como de tudo, até pedra eu como se tiver que comer. Mas gente, na primeira mordida eu me arrependi de colocar o negócio inteiro no boca. Mastiguei, mastiguei, e a vontade de vomitar tava insuportável. Peguei um guardanapo, e quando ninguém olhava cuspi o doce no guardanapo e fui pegar uma bebida pra tentar apaziguar o gosto. Meu, eu ainda senti o gosto dessa fruta na boca por dias!!!!


Estando na Ásia, queríamos muito experimentar o negócio in loco. Mas é muito caro! Apesar da fruta e coisas feitas com a fruta serem vendidas em toda esquina, estávamos achando o preço super salgado. Até que vimos um casal numa barraca negociando o valor da fruta - e resolvemos dividir com eles - a fruta é grande, dá pra muita gente. Assim, não ficaria caro pra ninguém.

O casal em questão era uma menina da própria Malásia e seu amigo americano que morava na Tailândia e estava na Malásia a passeio. Ela odiava durian e só tava lá pra acompanhá-lo. Eu meio que tava na mesma, porque o R. tava bem mais empolgado pra experimentar a fruta. O cara da barraca cortou ela na metade e nos deu guardanapos e luvas - luvas!

Eu até experimentei a fruta, tampando o nariz porque o cheiro é insuportável. O americano se deliciava, dizendo que aquele durian malaio era muito melhor que o durian na Tailândia... e o R., inacreditavelmente, não só experimentou como comeu vários pedacinhos da fruta! Gente, eu fiquei chocada, porque o R. não é exatamente uma pessoa que come de tudo não.



O durian tem uma textura totalmente diferente de todas as frutas que eu já tinha visto na vida. Ele é super hiper cremoso, desmancha na boca. E o cheiro, que não dá pra descrever. É horrível!!!

Enfim, no nosso último dia na Malásia fomos ver a KL Tower, uma torre super linda que fica num complexo onde pode-se caminhar dentro de uma floresta tropical no coração da cidade. A Reserva Florestal Bukit Nanas foi preservada ao máximo na construção do torre e das coisas ao redor, e lá dentro há um Canopy Walk, onde é possível caminhar por pontes entre as árvores.

Pra dizer a verdade, acho que teria valido mais a pena subir nessa torre e tirar fotos do deck onde eles tem aquele chão transparente de vidro e tal, é lindo! Mas é super caro, e já tínhamos gastado subindo nas torres Petronas, então optamos por não subir na KL Tower. Mas olhando as fotos, talvez valha mais a pena subir na KL, porque apesar das Petronas serem lindas, elas são mais lindas de fora!





Já o parque, esse vale demais a pena. Primeiro que logo na entrada dele você aguarda no ponto de ônibus do local, que te leva lá pra cima pra você evitar a subida naquele calor e umidade infernal. Depois que o parque é de graça, e não sei se porque fomos em baixa temporada, mas estava praticamente vazio. No tempo todo em que estivemos ali, quase não cruzamos com ninguém!

Mas vou te dizer que ali dentro, no coração na floresta mesmo, eu não tava aguentando de calor. A lente da câmera ficava embaçando, não dava energia nem pra apreciar. Não é fácil! Mas na medida do possível, curtimos, passeamos, e nos embasbacamos com aquela beleza de floresta no meio daquela metrópole asiática!





Depois desse passeio descemos pro centro histórico e pra praça Merdeka, também chamada de Praça da Independência. Foi ali que a bandeira do Reino Unido foi retirada pra dar lugar pro hasteamento da bandeira da Malásia em 1957. Todas as construções da região ali são bem coloniais e esse foi um dos lugares mais cheios de turistas em Kuala Lumpur, já que os ônibus com turistas chineses não paravam de chegar por ali.

No fim, acho que curtimos bastante a Malásia. Apesar do contraste da pobreza com a riqueza e o calor ABSURDO, muitas coisas nos surpreenderam positivamente: o transporte público de primeiríssima qualidade, os shoppings chiquéeerrimos cujas lojas eu não teria dinheiro nem pra comprar chaveiro, a mistura de etnias e religiões... é um lugar certamente único no mundo e nós ficamos com aquele gostinho de querer explorar e conhecer mais desse país tão intrigante. Kuala Lumpur é um hub muito grande de vôos na Ásia, então quem sabe ainda nessa vida a gente não tem a oportunidade de voltar?







Web Analytics

@blog_barbaridades

Back to Top