Lagunas Altiplânicas, Piedras Rojas e Salar de Atacama | Chile #4

/

No nosso primeiro dia de fato no Atacama, fizemos um passeio com a Andes Travel que faria várias paradas: começaríamos pelas Lagunas Antiplânicas (com uma pausa antes pra visitar um povoado), seguiríamos pra Piedras Rojas, pararíamos pra almoçar em Socaire e por fim iríamos pro Salar de Atacama. Foi um dia super cheio, mas acho que valeu a pena fazer tudo isso - vale lembrar que fomos de cara fazer um passeio de altas altitudes, mas sobrevivemos todos, rs.

Lagunas Antiplânicas


O passeio para as Lagunas saiu cedinho - estávamos prontos às 7 da manhã e às 7 e 20 a van chegou para nos buscar no hostel. Fizemos algumas paradas pra pegar mais algumas pessoas e logo seguimos em direção ao local. O trajeto todo dura mais de uma hora e faz uma mescla entre "boas estradas" e estradas de terra.

No entanto, fizemos uma primeira parada no Povoado de Toconao, uma vilazinha a pouco menos de 40km de San Pedro que contém menos de 800 habitantes. Ali na região o guia já explicou que o verde da região tem origem no que eles chamam de micro-clima. A água da cordilheira dos Andes desce até a região, e por conta da água, há vida. Então tanto esse povoado como San Pedro na verdade são um oásis no meio do deserto, graças aos Andes. Os frutos gerados pelas árvores da região contém bastante vitamina C por conta dessa água que vem da cordilheira.


toconao, sao pedro de atacama, chile


toconao, sao pedro de atacama, chile

toconao, sao pedro de atacama, chile

toconao, sao pedro de atacama, chile


O guia também explicou sobre o material usado na construção das casas, que provém de rocha vulcânica, claro - são vários vulcões rodeando a região! Na pracinha principal se encontra a Igreja e Campanário de São Lucas, que datam do século 18 e foram reconstruídos algumas vezes após incêndios e terremotos.



Após tomarmos café por ali, seguimos estrada e já no caminho tivemos nosso primeiro contato com a fauna local: vicunhas!  A vicunha faz parte da família dos camelos encontrados na América do Sul e é um animal muito bonitinho que parece ser bem adaptado às altas altitudes onde vivem. Os outros animais que pertencem à essa família são o guanaco (que vimos num outro dia), a lhama, e a alpaca. E eu não sabia, mas tanto a lhama como a alpaca na verdade são derivadas da domesticação da vicunha e guanaco!



Ao chegar nas Lagunas, o guia calmamente pediu para que ficássemos na trilha o tempo todo e que andássemos lentamente, tranquilos, sem pressa, respirando bem fundo. Não chegamos a passar mal da altitude, mas eu pelo menos tava com uma leve dor de cabeça.

As Lagunas Altiplânicas ficam na base dos vulcões Miscanti e Miñiques e levam os mesmos nomes. Ao vê-las, mesmo de longe, você já entende porque esse é um dos passeios preferidos dos turistas que visitam o Atacama - é o cartão-postal da região!

Infelizmente você não fica lá muito tempo, mas faz uma caminhada que dá oportunidades suficientes de fazer lindas fotos e sentir a energia incrível do lugar. O tempo todo eu pensava: parece que tô dentro de um quadro!


lagunas altiplanicas, atacama, chile






Piedras Rojas


Piedras Rojas não foi o meu lugar preferido no Atacama não. Sei que é o passeio queridinho de muita gente, e de fato, a paisagem é maravilhosa, a coloração das pedras incrível, e o lago... cara, o lago é de uma cor inexplicável de linda. Massss, nessa hora do dia já estávamos começando a ficar com fome, cansados (eu ainda com aquela leve dor de cabeça por causa da altitude) e com um pouco de frio - o sol havia se escondido atrás das nuvens e o vento não tava fácil por ali não.

O negócio da altitude é tão foda (e juntando com os fortes ventos), que só de me agachar pra fazer uma foto e levantar em seguida, me dava uma super tontura. E ainda contrariei as indicações do guia e dei um pulinho pra fazer uma foto, hahaha. Mas tudo sob controle!

piedras rojas, atacama, chile


Agora, uma notícia muito triste que tomei conhecimento há uns dias é que Piedras Rojas está fechado para turismo por tempo indeterminado. Não sei exatamente o que de fato aconteceu, mas parece que um canal do youtube chamado Canal Off juntamente com um kitesurfer chamado Reno quebraram algumas regras utilizando drones pra filmagem e surfando nas águas do lago (?!). Pois é. Eu entrei no instagram do cara e ele não pede desculpa não, ainda diz que não era proibido surfar por lá e que não havia placas indicando o contrário.

Mas gente, não precisa de placa, não? Como você vai surfar num lugar dentro de uma reserva ambiental, um local que contém flora e fauna que não podem ser interferidos? Tá rolando uma meeeega discussão em instagrams de viajantes e agências de turismo no Atacama. Algumas pessoas alegam que o passeio não foi fechado só por causa deles, mas também porque descobriram umas pedras pichadas e também muito lixo na região. Cara, é muito triste isso. Como uma pessoa se propõe a visitar um lugar lindo desse e deixa lixo e picha uma pedra? Não consigo entender. Quem me conhece sabe que sou super zen com essa coisa de fauna e flora, não sou defensora ferrenha dos animais nem da natureza dessas que tem pela internet afora aí, mas poxa, bom senso e respeito é o que todos devemos ter, não? Estou decepcionada com essa história e vamos acompanhar pra ver o local será reaberto, porque agora muitos turistas perderão a oportunidade de ver esse lugar lindo no Atacama!

piedras rojas, atacama, chile

piedras rojas, atacama, chile

piedras rojas, atacama, chile

piedras rojas, atacama, chile

piedras rojas, atacama, chile

piedras rojas, atacama, chile


Salar de Atacama


Após pararmos pra almoçar no povoado de Socaire num restaurante super simples mas que até feijoada servia (!), seguimos para a última parada do dia: no Salar de Atacama.

Esse deserto de sal está a 2300 metros de altitude e tem cerca de 3000 km² - ou seja, é muito grande! A região é preservada pois abriga várias espécies de aves, como os famosos flamingos, mas também outros bichos como lhamas, vicunhas, etc.

Cercado pelas montanhas e vulcões, o salar não tem drenagem da água que vem das cordilheiras que o cercam, tornando a geografia do local bem única, no sentido de que a superfície do deserto é bem grosseira - se você olhar fotos dos maiores desertos de sal no mundo, que são o Salar de Uyuni na Bolívia e o Salinas Grandes na Argentina, vai ver que lá a superfície é totalmente plana, parecendo um espelho - já no Atacama é bem diferente.

Apesar de já ser por volta de 4 da tarde, o sol não tava perdoando - tava muuuito quente, e o guia sempre dando a recomendação de andarmos lentamente, tranquilos, beber água devagar e passar bastante protetor solar.

Conseguimos tirar algumas fotos, observar os flamingos comendo e até mesmo alguns voando e ficamos debaixo de uma sombra lá enquanto não dava a hora de irmos embora. Preferimos não fazer uma trilha que dá uma volta de uns 20 minutos porque tava muito sol e porque o prório guia falou que a paisagem não mudaria muito do que já estávamos vendo na trilha principal.

salar de atacama, atacama, chile

salar de atacama, atacama, chile

salar de atacama, atacama, chile

salar de atacama, atacama, chile

salar de atacama, atacama, chile


salar de atacama, atacama, chile

salar de atacama, atacama, chile

salar de atacama, atacama, chile


Esse foi só o primeiro dia no deserto e estávamos num misto de animação, cansaço e surpresa - eu mesma pelo menos, apesar de já ter visto dezenas de fotos do deserto do Atacama, me impressionei ao ver tudo pessoalmente, apesar de que acho que as fotos retratam bem fielmente as paisagens, sabe? De qualquer forma, no próximo dia acordaríamos às 4 da manhã para o passeio dos géiseres, então descansar era prioridade!
Web Analytics

@blog_barbaridades

Back to Top