Phuket e as praias da Tailândia

/


Estou determinada a terminar de falar sobre nossa viagem pra Ásia. E não tenho o feito com mais rapidez por pura falta de tempo, mesmo. Com esse trabalho de coordenação de verão eu tenho menos horas fora do trabalho disponíveis e quando chego em casa, estou sempre muito cansada. Mas ainda quero deixar registrada nossa passagem pelo Camboja, Malásia, Singapura, Hong Kong... e Tailândia, que começa agora!

Não tinha como fazer uma viagem pelo sudeste asiático sem passar pela Tailândia. E ponto. O país é meio que a base de quem quer explorar a região e na verdade já foi e é tão visitado que passear pela Tailândia não vai ser difícil nem vai requerer planos mirabolantes – quer dizer, depende! A gente depois de muito pensar decidiu que não iriamos para as famosas ilhas Phi Phi. E um dos motivos pelos quais não nos animamos é porque o deslocamento até essas ilhas requer sim um pouquinho de um plano mirabolante.

Não sou a maior fã de barcos, então a ideia de pegar ônibus/van até um lugar X, barco até o lugar Y, mais outro barco... pra chegar numa praia lotada e não poder curtir a praia tranquilamente? Tô fora. Pelo R. acho que teríamos ido pra lá, mas ele também não se convenceu de que seria uma boa, então logo no começo do planejamento descartamos essa possibilidade e focamos em ficar num lugar onde pudéssemos descansar, curtir e aproveitar a Tailândia sem o vuco-vuco de milhares de turistas.



Estávamos muito na dúvida entre nos hospedarmos em Krabi ou Phuket. Você começa a pesquisar e fica mais na dúvida ainda. Qual é melhor pra casal? Qual é mais confortável? Conversamos com alguns amigos que já foram pra Tailândia e no fim, pareceu que é uma questão de escolher no escuro mesmo, tanto faz. Mas acabamos nos decidindo por Phuket porque tem um aeroporto lá e encontramos um voo pra Myanmar saindo de Phuket - encaixaria direitinho no nosso roteiro.

Nós ficamos 4 dias na ilha de Phuket e cara, a ilha é enorme! Tem que meio que escolher bem onde na ilha vai ficar, porque por exemplo, a distância entre o aeroporto e Rawai, onde ficamos, é de 1h hora e meia. Só que tem muito trânsito naquele lugar e acabamos levando até mais tempo pra chegar, mas já estávamos cientes da distância.

Fechamos um transfer com o próprio hotel e deu super certo. O carro tinha ar-condicionado, era super confortável e o motorista bem cauteloso, coisa rara por aquelas bandas.

Chegamos em Phuket num sábado a noite, fizemos check-in no hotel e passamos num 7-Eleven pra comprar umas comidinhas, mas não chegamos nem a jantar.

No outro dia, ficamos de bobeira no hotel (que tinha piscina e quase sempre ficávamos sozinhos por lá), demos uma andada pela região, levamos roupa pra lavar numa lavanderia ali perto e descansamos. Somente no outro dia resolvemos ir até alguma praia e o próprio dono do hotel nos deu uma carona até lá.

A praia em si não foi nada que tenha me deixado de queixo caído – pra quem já conheceu tantas praias lindas no Nordeste, achei até meio decepcionante. Tava muito calor, mesmo na sombra, e nós encaramos o sol pra ficar na água, que tava bem fresquinha e gostosa.








Nesse mesmo dia, na volta, nós pegamos um taxi com um senhor que tinha uns panfletos sobre coisas pra fazer na região, inclusive visitar umas ilhas por ali. Como eu disse antes, não queria ficar horas num barco, mas as ilhas eram próximas e resolvemos fechar com ele. Então no dia seguinte ele nos buscou no hotel e nos deixou num determinado ponto onde um conhecido dele nos levou de barco para duas ilhas diferentes: Coral Island e Bon Island.

Essa história rendeu uma pequena confusão, mas conto isso no final.

Tomei remédios pra não passar mal do barco e foi a melhor coisa, porque apesar do barquinho não balançar, quando ele vai chegando na praia e diminui a velocidade pra parar, putzzzzz, o negócio balançava demaisss!








Mas ok, chegamos na praia, pagamos um cara pra poder usar as cadeiras de praia na sombra e ficamos um bom templo ali sem fazer nada. A praia era realmente linda, mas cheia de pedras... e os sapatinhos que você pode usar pra entrar na água eram caríssimos, então só ficamos na sombra mesmo.

De lá, encontramos o cara do barquinho de novo, que nos levou pra outra ilha, que era ainda mais tranquila e vazia. Chegando lá nos almoçamos e encontramos um canto debaixo de uma árvore pra descansar. O R. ainda foi ficar no sol, mas eu fiquei quietinha na sombra e até cochilar cochilei. Entramos na água um pouco mas tinha muita pedra e não sabemos nadar, então não é tão divertido.










Ao pegarmos o barco de volta pra ilha de Phuket, demos o dinheiro combinado para o cara. Mas ele reclamou que o dinheiro não tava certo, que era mais. E eu tinha certeza que tava certo, que esse tinha sido o combinado. O cara chamou o motorista de táxi, que nessa altura já estava nos esperando na rua pra nos levar de volta pro hotel. O taxista ficou puto, agressivo, apontou dedo na cara do R.

Eu e o R. somos muito pacíficos e não gostamos muito de confronto, então imagina a situação. Eu falava pro cara: calma, sem apontar dedos, vamos resolver o mal-entendido. E no fim, não acho que sofremos um golpe não. Acho que foi falha de comunicação, porque o inglês deles não era muito bom e nós obviamente não falamos tailandês. Então quando ele falou o valor do passeio nós ouvimos X, mas era Y. Então falamos: olha, não temos dinheiro aqui - e realmente não tínhamos. Sugerimos que o cara podia nos levar pro hotel porque tínhamos mais dinheiro no cofre do quarto do hotel, e aí poderíamos dar a diferença que ficou faltando pro taxista levar pro cara do barco. Que situação de merda. Eles concordaram, e o cara do barco na verdade disse que nem precisava. Mas foi o que fizemos. Se o taxista repassou o dinheiro pro cara do barco tenho minhas dúvidas, mas foi um honest mistake da nossa parte, como se diz em inglês.

Depois dessa história, toda vez que íamos negociar preço em qualquer lugar repetíamos mil vezes e as vezes até mostrávamos a nota pra confirmar que era aquela quantia e não tivemos mais problemas, hahaha. Mas enfim, no próximo post falo mais de Phuket e seguimos também com a capital Bangkok!
Web Analytics

@blog_barbaridades

Back to Top