Fazendo o Celi 3 - prova de nível B2 em italiano

/

Desde o ano passado eu já tinha decidido que queria fazer um exame oficial de italiano. Tendo estudado por tantos anos - tanto no Brasil como na Irlanda, eu senti que precisava de um norte, um objetivo. Não tenho necessidade de estudar italiano, o faço puramente porque gosto da língua. Então eu acabava ficando meio solta demais, sabe?

Achava que fazer um exame me daria um prazo, algo para o qual eu poderia realmente me dedicar. E obviamente, que independente do resultado, eu continuaria estudando, melhorando... e foi o que fiz.

Existem dois exames que provam seu nível de italiano: o CILS ou o CELI. Se não me engano, optei pelo CELI pois era possível fazê-lo em Dublin mesmo, porém apenas uma vez ao ano. Mesmo tendo menos de 6 meses para o exame que seria dia 24 de junho, eu resolvi arriscar. Me inscrevi também num curso preparatório onde estudo italiano há quase um ano e embarquei nessa jornada!

Fonte




O exame que prestei foi o CELI 3, que é o nível B2 do CEFR. Basicamente, passando nesse exame eu terei um nível "Livello intermedio" comprovado, que é mais que um intermediário e menos que um avançado.

Sempre tive uma certa insegurança com o italiano, porque apesar de ser uma língua muito parecida com o português... quer dizer, justamente por ser parecida com português, fica difícil distinguir às vezes se você tá falando português, italiano, ou portuliano! Mas tudo bem, também tenho um pouco de síndrome de impostor nesse quesito, e ter feito o curso foi fundamental pra eu ver que sim, tenho um bom nível na língua, ainda que eu não me perceba assim.

Alguns dos materiais que utilizei pra estudar. Fonte.

Sobre a prova


A prova é bem parecida com essas de Cambridge - tem a parte de leitura, redação, audição e prova oral. Foi tudo no mesmo dia, e vou fazer um breve resuminho de cada parte.

LETTURA

A parte de leitura foi bem mais fácil do que eu esperava. Os primeiros exercícios são basicamente um "escolha a alternativa correta", e tava tranquilo de encontrar as respostas no texto. Um deles falava sobre a invenção da Nutella, e o outro sobre um cara escrevendo uma carta pro presidente dos EUA pra que ele devolvesse uma certa escultura ao país de origem, no caso, a Itália.

Depois tinha um exercício onde deveríamos ler dois pequenos textos sobre o mesmo assunto, e aí ligar os fatos a cada texto em específico.

Por fim, um outro texto onde tínhamos que responder as perguntas por escrito.

SCRITTURA

Durante meu curso preparatório, eu sempre tirava 14/20 nas redações. Minha coerência e criatividade são sempre muito boas, mas a gramática e ortografia sofriam bastante. No entanto, durante a prova tive mais tempo do que o suficiente pra pensar, fazer rascunho, passar a limpo, então tô confiante que tirei essa nota ou algo maior.

No primeiro texto temos duas opções de assunto, e um deles era sobre estar longe daqueles que amamos ou algo assim (tema fácil fácil pra essa que vos fala). Esse é mais no estilo essay.

O segundo texto é sempre algum tipo de correspondência - email ou carta, formal ou informal. Pra ser sincera, nem lembro mais sobre o que escrevi, rs.

COMPETENZA LINGUISTICA

Essa é a parte de gramática da prova, e ela foi bem mista. Os primeiros exercícios foram o famoso open cloze, que é basicamente um texto com vários espaços vazios. Você tem que ler e completar com a palavra que ali se encaixa. Esse tipo de exercício sempre foi um desafio que eu amava quando me preparava pra fazer o CPE (prova de proficiência em inglês), mas no italiano já era bem mais complicado pra mim.

No entanto, nessa prova especificamente achei tudo bem fácil, eu ia lendo o texto e sabia quais palavras faltavam! Mas vamos ver, tava tão fácil que desconfiei...

Depois, o exercício mais difícil da prova toda: eles te dão três ou quatro frases independentes e você tem que ligá-las numa frase só adicionando conjunções, pronomes, etc. Por exemplo:

- Maria recebeu um email.
- O email era sobre a entrevista de emprego.
- Maria esqueceu de responder o email.

Aí você faria algo tipo "Maria recebeu um email sobre a entrevista de emprego, mas esqueceu de respondê-lo".

ASCOLTO

A parte de listening dessa prova pra mim foi a mais difícil. No geral, eu sempre vou bem nesse tipo de prova porque é uma das minhas habilidades mais fortes, mas nesse caso, fiquei bem insegura.

Os dois primeiros exercícios são um múltipla-escolha onde geralmente há uma entrevista ou alguém contando uma história. O áudio da primeira entrevista tava super difícil de entender, tinha muito ruído, o cara falava baixo... definitivamente não fui tão bem.

Já o outro exercício é um "fill in the gaps" clássico, onde você vai ouvindo e completando as frases com uma a quatro palavras de uma vez só. Nesse tipo de atividade eu consigo entender 99% de tudo, o problema é sempre a ortografia, já que por mais que a palavra esteja correta, se você errar a ortografia, perde ponto.

PRODUZIONE ORALE

Ahhhh, a prova oral! Essa foi feita no período da tarde, e eu tava extremamente nervosa. Eram duas examinadoras sentadas na minha frente, mas somente uma interagindo diretamente comigo. A prova é feita individualmente - só você e os examinadores.

São três tarefas, e temos 15 minutos para nos prepararmos antes de começar.

Na primeira tarefa, temos que descrever uma foto e responder perguntas sobre ela. No caso, a foto que me deram era uma publicidade sobre viajar pra Itália, então foi bem fácil descrever tudo, comparar com a Irlanda, etc.

Na segunda tarefa, temos que ler um texto e fazer um resumo oral, além de responder perguntas sobre o assunto. O meu texto era sobre pessoas que acabavam sendo mais produtivas quando seus bichos de estimação estão no trabalho também.

Por fim, o último exercício é um role play, onde te dão uma situação e você tem que interagir com o examinador naquele personagem - no meu, eu deveria responder perguntas de um jornalista e nós dois estávamos num protesto (eu que deveria pensar no tema do protesto). Meu impulso foi escolher um protesto sobre o aborto, mas não precisei nem de um minuto pra me dar conta que não teria o vocabulário pra falar sobre isso, então mudei pra licença-maternidade ou algo assim e deu tudo certo.

Eu senti que comecei a prova oral super bem, sem errar muito, usando diferentes tempos verbais, mas conforme foi indo, fui errando bem mais e eu me ouvia cometer erros que não deveria estar cometendo! Mesmo assim, acredito que tenha passado nessa parte, porque tem que ir muito mal pra não conseguir passar!

A nota da prova oral é à parte de todo o resto, então se você reprovar na prova oral mas passar no resto, pode refazer somente a prova oral nos próximos 12 meses e vice-versa.

Agora, vamos aguardar o resultado, que deve sair no fim de agosto/começo de setembro!

Minha intenção é fazer mais um semestre de curso na mesma escola onde estudei, gosto muito das professoras e me sinto motivada indo pra escola toda semana. Não tenho muita disciplina pra estudar sozinha infelizmente... dependendo do resultado do exame, talvez me anime em continuar estudando ano que vem, mas de qualquer modo, eu volto aqui pra contar!
Web Analytics

@blog_barbaridades

Back to Top