Ano Novo em Estocolmo

/

Em fevereiro de 2016 eu fiz um post onde comentava que ainda queria muito conhecer a capital da Suécia... na época eu não imaginava que ia acabar ficando "permanentemente" (nada é permanente nessa vida!) na Irlanda e que por isso, teria outras chances de conhecer outros países do continente.

Mas antes mesmo de começar, um disclaimer: você verá muito as palavras "caro", "caríssimo", "nada barato" e outras variantes nesse post. Ô cidade cara essa Estocolmo!

Mas enfim, tentamos planejar viagem pra lá algumas vezes, mas as passagens sempre eram muito caras, então fomos deixando. Passou 2016, 2017, e quando foi 2018, vimos a chance de finalmente pisar na Suécia. A verdade é que eu não queria passar o ano novo na Irlanda, porque honestamente, é muito chato. Não porque estou longe da família e amigos no Brasil - pelo contrário: adoro passar Natal aqui, por exemplo, mas ano novo não dá, é realmente muito chato. Então tentei convencer o R. de que precisávamos ir pra algum lugar no fim do ano... e quando foi lá pra junho, julho, vimos as passagens pra Suécia e calculamos que ia rolar.

Claro que uma viagem pra Suécia não é só cara pelo preço dos voos, mas por tudo. Trata-se de um país com custo de vida altíssimo e pra turismo também. Então achar um hotel em conta seria uma tarefa difícil, não fosse pelo fato de que 1) achamos um hotel super legalzinho por um preço aceitável e 2) tínhamos noites de graça pelo Hotels.com, já que sempre fazemos reservas com eles.

Dito isso, compramos nossas passagens pela Norwegian e passamos quatro dias super tranquilos em Estocolmo!



Ir do aeroporto pro centro foi bem fácil - pegamos um ônibus que sai a cada 15 ou 20 minutos direto pro centro. Foi bem fácil achar essas informações na internet poucos dias antes de embarcarmos e o hotel era a menos de 10 minutos a pé do ponto final do ônibus - não tinha como ser melhor. Nos nossos dias lá, só precisamos pegar o metrô uma vez - o metrô funciona super bem, mas é caríssimo. Pagamos coisa de 4 euros cada pessoa cada trecho!

Estocolmo é uma cidade relativamente pequena - pelo menos seu centro histórico! - e dá pra fazer praticamente tudo a pé. Andamos muitos e muitos quilômetros e tentamos explorar ao máximo enquanto havia luz do dia, já que era inverno e no inverno há realmente pouca luz nesses países ao norte.

No nosso primeiro dia, na verdade nós fomos pra uma outra cidade, cuja história eu conto num próximo post.

Nos outros dias, a gente fez bem pouco pra ser sincera. Vagamos pelo centro histórico, fizemos um walking tour (que pra ser sincera foi bem chatinho), e tentamos economizar na alimentação, mas na Suécia, não rola. Um almocinho simples num restaurante básico não saía por menos de 50 euros pra nós dois. Muito muito caro!!!










Então de maneira geral, não ficamos batendo cartão em ponto turístico nem nada disso - até porque, nem há tantos pontos famosos assim em Estocolmo. A única grande atração turística que fizemos questão de visitar foi o Museu do Abba, cuja entrada custa 25 euros!!! É um valor altíssimo, até mesmo pra museu na Suécia, mas a verdade é que eu curto algumas músicas deles e tava a fim de saber mais sobre sua história.

O museu é super interativo e interessante, há muita informação sobre o início da banda, sua evolução, vida pessoal dos integrantes... e muita música, claro! Depois desse museu fiquei semanas ouvindo Abba e com suas músicas na cabeça. Mas não tem como, na Suécia fazem pop de qualidade! Quer um exemplo? Não só Abba veio de lá, como também Ace of Base, Roxette, Eagle-eye Cherry, The Cardigans, The Hives...







Na noite de ano novo, fizemos uma reserva num restaurante mexicano. Na verdade, até há eventos na rua, shows e tudo mais, mas com temperaturas baixas, nem a pau que o R. concordaria em sair - e confesso que eu também morro de preguiça de muvuca, então sair pra jantar nos apeteceu bem mais. O restaurante tinha um lance meio "comida mexicana gourmet", então vieram vários mini pratos pra gente fazer uma espécie de degustação. Estava tudo delicioso, foi uma experiência diferente e tranquila!

Enfim, sei que poderia ter um post mais detalhado sobre a cidade de Estocolmo, mas fizemos essa viagem há três meses e desde então eu realmente não tive cabeça pra sentar e escrever bonitinho. Com essa coisa de mudar de endereço, casa, horário no trabalho, etc., ainda estou demorando pra me encontrar na rotina nova.

Agora, posso dizer com muito orgulho e alegria que visitamos todos os países da Escandinávia! Obviamente que a vontade de conhecer ainda mais lugares nesse mundão não passa, e a meta é começar a completar a lista dos países nórdicos, que inclui, por exemplo, a Islândia. Será que conseguiremos em breve?






Web Analytics

@blog_barbaridades

Back to Top